sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Ainda Tentando Entender as Mulheres (Crônica)

Sigo numa interminável saga de entender um pouco sobre as mulheres. Fala-se muito que pessoa alguma nunca as entenderá, mas eu tenho um quê de utopia dentro de mim. Certa data, sentado à mesa de um bar com alguns amigos, todos homens, começamos a falar sobre mulheres, algo trivial. Não sei se era a lua, o chopp ou seja lá o que for, que fez com que contássemos nossas histórias uns aos outros e no final concluirmos que estes seres maravilhosos, que são as mulheres, estão longe do nosso entendimento. Ainda estamos engatinhando sobre a psiquê feminina. 

Um dos participantes contou sua história com uma mulher de meia idade, super bem resolvida, independente, bela e interessante, segundo as descrições dele. Ambos se conheceram de forma casual e encantaram-se um pelo outro assim "de cara". No entanto, houve um espaçamento de tempo consideravelmente grande para que eles tivessem o primeiro encontro. Quando aconteceu, ele foi visitar o apartamento dela e conversaram bastante e no final acabaram dormindo juntos. Durante a semana ele tentou contato com ela, sem sucesso. Exata uma semana depois, ela o atendeu e eles marcaram novo encontro. Chegado o dia do encontro, ele enviou um SMS pra ela pra dizer que estava a caminho, mas eis que surge uma resposta inesperada dela pedindo pra que ele voltasse pois não se sentia bem e precisava descansar pra acordar cedo. Durante a semana ele tentou contato de novo até conseguir: ela responde por SMS que não queria mais vê-lo porque ele é bom demais, envolvente, apaixonante e outros adjetivos fabulosos. Oi? Deixa eu ver se entendi: ela deu um pé na bunda do cara porque ele fez tudo certo? E a risada na mesa foi geral...

Outra história que rendeu risadas foi a da mulher casada que saiu com um dos participantes da resenha. Ela era evangélica (e humana, passível de erros, ok). Os dois se conheceram pelo chat do Terra.com há tempos e ele foi fazer um trabalho musical na cidade dela e ambos se encontraram. Ela foi ao show que ele estava tocando e depois foram pro motel jogar xadrez... Ok, vocês sabem o que eles foram fazer... Hahahaha. Pulando todos os detalhes sórdidos desta noite de volúpia e prazer, ela foi levar o cidadão pra onde ele estava hospedado e colocou um CD de música gospel e começou a tentar "converter" o cara. O músico ficou com uma ressaca moral danada e perguntou como ela conseguia falar da Bíblia normalmente depois de ter cometido adultério... Ela disse que Deus perdoa e que o marido não dá conta... Risadas, risadas...

A história mais preocupante na mesa foi a da mulher que queria casar com o cara depois de dormirem juntos uma única vez. Isso dá medo. O cara correu e a mulher também correu... atrás do cara... Segundo o relato, foram uns cinco meses de perseguição até que ela foi vencida pelo cansaço. Todos nós que estávamos na conversa falamos sobre coisas muito idênticas a isso.

Definitivamente cheguei a conclusão que num primeiro encontro NUNCA se deve falar de casamento. Isso fatalmente bota alguém pra correr. Cheguei a conclusão que NUNCA vou entender as mulheres, mas que SEMPRE vou tentar. São seres maravilhosos e personalizados. As mulheres não são todas iguais, graças a Deus!

Beijo nas crianças,
MB