sábado, 11 de outubro de 2014

Poema Danado e Ordinário - Para Fernando Pessoa (Poema)

Meu caro Fernando Pessoa
Permita-me acrescentar
Todo poeta é um vidente
Tanto finge que nem sente
Sabe de nada, inocente
Prevê o futuro e pensa que mente