sexta-feira, 30 de novembro de 2012

De Lá e de Cá (Poema)

Preciso de uma nova inspiração
Uma mulher que me tire o chão
E me faça sentir voar
Flutuar nos ventos da paixão
Sem medo que de lá eu caia
Que eu me sinta seguro na barra da sua saia
Que eu me perca em suas entranhas
Que ela seja agridoce e tenha novos sabores
Que ela seja descompassada
Pra entrar no compasso dos meus defeitos
Que ela seja o sol que brilha após as trevas
Numa homérica odisseia
Não quero muita coisa
Só quero o amor puro e intenso
De lá e de cá

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

A Prateleira Mais Alta do Armário (Crônica)

Fui daquelas pessoas que se fizeram inacessíveis pras outras durante este ano de 2012. É um erro gravíssimo prender-se ao passado, remoer sentimentos que nunca mais serão correspondidos, culpas que nunca serão perdoadas. Porém o ser humano não é uma máquina onde podemos programar o que se deve sentir. Ficamos presos de forma masoquista a pessoas que nos querem mal porque a fizemos mal. É natural. Aprendi que não devo idealizar pessoa alguma, é um grande erro. Aprendi a respeitar o meu momento e o momento dos outros. Sorte daqueles que tiveram a chance de reparar seus erros. Nem sempre temos essa chance. 

Essa coisa de ficar se defendendo de novas decepções (tanto como vítima, quanto vilão) só leva a um estado de solidão muito doloroso. Ficar se colocando lá na última prateleira do armário pra que ninguém alcance é um erro. Quem faz isso não se permite viver, não se permite amar. Decepção faz parte, ela forja o aço e afia o corte. Decepção só mata quando deixamos isso acontecer.

Conversando com uma amiga, falávamos sobre como as pessoas em geral estão temerosas com a decepção, estão com medo de se envolver. Contei uma história de 2010, quando eu estava saindo com uma moça e ficamos pouco mais de um mês nos relacionando. Quando mencionei a palavra NAMORO, achando que estava sendo decente com ela, a moça simplesmente parou com toda aquela coisa bonita que estava acontecendo sob a justificativa de que se sentiu pressionada e de que as coisas tinham que acontecer naturalmente. As coisas estavam acontecendo naturalmente, mas devido ao tempo, sugeri que nos tornássemos namorados, achei que fosse um ato decente meu e foi o que acabou destruindo tudo.

Meu último relacionamento foi fatídico, fui covarde, menti, agredi verbalmente, fui estupidamente inadequado. Hoje, essa pessoa me odeia, quer meu mal e tem toda razão de sentir isso. Eu gostaria de reparar o erro. Eu gostaria de descer da prateleira mais alta do armário e mostrar o quanto me arrependi dos meus erros. Mas isso não será possível. Paciência.

O que resta é viver, me libertar dessa culpa que carrego e descer dessa prateleira e me tornar novamente acessível como sempre fui. Estou me esforçando pra ser uma pessoa melhor. Estou me esforçando pra acreditar na vida. Penso que podemos evoluir aqui no plano físico. 

Quem tem sonhos, tem vida. Eu tenho sonhos e vou resgatar minha vida.

Beijo nas crianças,
MB

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

A Semana do Aniversário (Crônica)

Tem gente que diz por aí que começa um tal de "Inferno Astral" exatamente um mês antes do aniversário. Posso dizer que isso não passa de crendice, pois quando a mente está tranquila e não ficamos com essa bobagem pairando os pensamentos, a vida segue normal. Esse ano, o tal período está mais pra "Paraíso Astral". Está tudo correndo razoavelmente bem, os problemas são corriqueiros, bem diferente do ano passado, em que eu era o próprio "Inferno Astral". Brinquei com minha filha e tivemos momentos de conversa, meu filho está cada vez mais meu parceiro... Até compus duas canções, coisa que não fazia há muito tempo. Fazendo um balanço de como eu estava em 2011 nesta mesma época, nossa, quanta diferença. Sinto-me livre, leve e com aquela sensação de que "as coisas vão melhorar", e estão melhorando, faz algum tempo. 

Estou na semana do meu aniversário de 35 anos, vividos com dignidade em boa parte desse tempo todo. Tive momentos de vilania em algumas passagens, que infelizmente não tenho como consertar. Prefiro pensar que posso ser melhor, que posso amadurecer. Eu acredito que o pensamento tem uma força que ainda não conseguimos medir. Sei que é muito poderoso. Eu tinha uma tendência derrotista pra tudo e era essa linha de pensamento que me levava a sempre estar à margem. Porém, mesmo derrotista, eu vencia, conquistava o que queria. Imagina agora com um pensamento vitorioso? O céu é o limite? Tomara...

A semana do meu aniversário está indo bem, apesar de hoje uma grande amiga e humanitária, Dra. Thelma Fraga, ter ido para o plano espiritual. Nós que aqui ficamos perdemos bastante, pois era um ser humano raro, mas meu entendimento sobre as coisas espirituais diz que ela está agora num lugar muito melhor que este. Assim como fará 7 anos, no dia 22 de Novembro, Dia do Músico, que minha avó Laudelina deixou este mundo, dois dias antes do meu aniversário. A saudade delas permanecerá até o momento que nos encontrarmos no outro lado, onde faremos festa!

Agradeço aos céus por hoje eu ter saúde física, mental e espiritual para desempenhar meu trabalho de músico. Agradeço aos meus terapeutas por me ajudarem a retomar o Norte da minha vida, pois eu estava muito perdido. Nada vai apagar o que fiz de bom ou de mau. Já me alegrei e colhi os bons frutos do bem e sofri as consequências do mal. Agora eu só quero ser melhor, só isso. Quero continuar fazendo minha vida algo da qual eu me orgulhe e possa orgulhar meus pais e filhos.

Agora, partindo pra próxima etapa... Que esse aniversário de 35 anos seja a confirmação de uma vida em evolução física, mental e espiritual. Que os sonhos que voltei a ter tomem forma e se realizem. Que eu não me desvie de novo e não permita que a depressão e o transtorno bipolar de humor arruínem minha vida e a de quem me rodeia. Sinto que vou vencer!

Beijo nas crianças,
MB

sábado, 17 de novembro de 2012

O Homem Que Matei (Poema)

Tenho uma dificuldade imensa de amar
Porém, maior ainda é a dificuldade de deixar de amar
Quando o amor adentra meu peito, não tem jeito

Tenho o dom de tudo estragar
Tive o amor nas mãos e no coração, na sua totalidade
Me desequilibrei e cometi erros tão imbecis

Menti sem necessidade, implodi a confiança dela em mim
Surtei e arrasei a mulher amada em três horas
O desespero só foi me levando a erros concatenados

E agora, como faço pra deixar de amá-la?
Sei que isso seria o que ela mais quer
Mais do que quereria uma mudança em mim

Matei o homem que ela amou
Ao contrário do que ela pensa, ele existiu
Eu o destruí e sombria ficou minha alma

Quero reviver este homem que existiu
Não por ela, mas por mim, tão somente
Eu gostava desse cara, eu ria desse cara

Comungo uma religião cujo Líder creio ter ressuscitado
E o Próprio diz em seus escritos sobre nascer de novo
Então o homem que matei aqui dentro pode voltar à vida?

Minha fé diz que sim, ele pode voltar e pode até ser melhor
Sim, essas sombras e névoas que me tomam podem se ir
E aquele homem que matei pode ressuscitar, ele pode sim!

Eu posso ser lavado dos pecados que cometi comigo mesmo
E dos que cometi com ela, independente de seu perdão
Ela me odeia e não ama mais o homem que matei

Hoje seria um dia de comemoração, mas é um dia de lamentação
Lamento por não estar sorrindo ao lado dela, lamento por não ser mais o homem que matei
O começo do acerto é o reconhecimento do erro

(Escrito em 25/05/2012)