segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

A Conquista (Crônica)

Vamos começar essa crônica sem lero-lero... Eu costumo ser muito atrapalhado quando entro em estado de apaixonamento. Tenho um cupido mais míope do que o Mister Magoo. Quando o "anjinho do amor" consegue me atingir, segundo o IBGE, as coisas não ficam bem pro meu lado. Ou a senhorita quer apenas ser minha amiga e/ou tem medo de relacionamentos. Cara, eu tive alguns relacionamentos na minha vida bem vivida, por sinal. Alguns posso dizer que foram muito bons enquanto duraram e outros foram traumatizantes. Entrei numa de ficar com medo de me relacionar. Cheguei a uma conclusão muito clara, pensando bem: essa coisa de "medo de se relacionar" é uma resposta que a gente dá quando não está a fim da pessoa e não quer ser "indelicado" ou coisa do tipo. Eu tenho medo de me relacionar, mas quando aparece essa mulher que me interessa, o medo todo se desfaz porque eu fiquei A FIM DELA. É assim, simples... Você fica a fim e os medos, bloqueios e tudo o mais vão embora. 

Quero me ater ao processo de CONQUISTA. Li diversos livros, ouvi diversas mulheres dando dicas e concluí que não adianta nenhuma teoria. Quando uma mulher não quer um cara não há artifício algum que mude o panorama. E mais: que graça tem conquistar uma mulher sendo alguém que você não é? Pô, eu aceito as pessoas como elas são. Se elas são de uma forma que não curto, não tento mudá-las, simplesmente me afasto. Não sou de ligar toda hora, não sou de mandar mensagens SMS direto, NÃO SOU GRUDENTO. Sou carinhoso, atencioso, amigo, preocupado com o bem estar, mas tomo um cuidado danado pra não ser chato, entrão e, de certa forma, "opressor".

Não quero usar mais estratégias para conquistar uma mulher. Eu já sei quem sou e mesmo assim ainda tenho muito o que aprender sobre mim. Quero apenas conquistar uma mulher do jeito que eu sou, sem livro de ajuda, sem métodos, sendo APENAS EU, afinal, se eu não mantiver a "linha" depois da conquista, esta relação estará fadada ao fracasso, pois as máscaras caem um dia. Sim, no processo da conquista é natural que mostremos nosso melhor lado e, por instinto, ocultamos o máximo possível os nossos defeitos. Está aí uma palavra-chave: NATURAL! Acho que uma verdadeira conquista se dá quando aquele que está tomando as iniciativas, geralmente numa situação adversa, ou seja, quando a outra pessoa não corresponde, age naturalmente sendo tão somente o que é.

Eu caí numa esparrela terrível de que mulher não gosta de "caras legais", que costumeiramente é denominado de "fofo", "querido", "amigão". Esta foi uma das maiores autossabotagens da minha vida. Por isso eu entrava sempre "em campo" com o time já derrotado. Lembrando dos meus relacionamentos que considerei bem sucedidos, eles começaram a partir do momento que eu estava sendo eu mesmo sem me preocupar com a impressão que ficaria na mulher pela qual me interessava. Estas tiveram o Marcio "nu e cru" e comigo tiveram longos relacionamentos.

Penso que a conquista da pessoa querida/desejada/amada deve ser pelos métodos que na verdade não existem. Penso que há mulheres que apreciam caras como eu, portanto não vou ficar procurando... Na minha cabeça vem esses dizeres: "não procura... deixa vir...". Que venha, então! Enquanto isso, escrevo e canto canções.

Beijo nas crianças,
MB