sábado, 19 de março de 2011

Mágoas e Coisas Afins (Poesia)

Machuca meu peito
Sua lâmina cega
Sangue pisado
Dor
Solidão
Antes tivesse me cortado
Eu lavaria a ferida
Estancaria o fluxo
Choraria, talvez
Mas, apenas por um dia
E quando a lesão é por dentro?
Mais dor
Mais solidão
Sensação de impotência
Fraqueza
Você deveria ter socado meu rosto
Hoje eu saberia o que fazer
Não sei o que fazer com palavras
Quando elas vem a mim como armas letais
Mágoa
Maldita sensação de tristeza
Veneno que age tão rápido
Quando aquela pessoa que magoa
Tem algum grau de importância
Tudo o que pode curar
Parece ser inútil nessa hora
Até que chega o momento
Que lembro do "senhor da razão":
O TEMPO
Certamente uma criação divina
Que nunca falha