segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Percurso Nebuloso Sem GPS (Poema)

Imagino que estou em um carro
Numa estrada com visibilidade mínima
Os freios não funcionam
E sinto que estou num leve declive
Os farois funcionam
A sinalização da pista é excelente
E permite que eu conduza o veículo
Até o momento, sem maiores perigos
Porém, não conheço o trajeto
E meu GPS não está com sinal
O que há além dessa neblina?
Uma descida mais acentuada?
Clamo por um aclive
Preciso parar esse carro
Preciso consertar os freios
Essa névoa há de ter um fim
Hei de ter um sinal pro meu navegador
Pra poder voltar a ouvir sua voz encantadora
Mostrando a direção que devo seguir
Quero chegar às suas curvas
Mas não encontrei as coordenadas
Sei que elas estão com você
E se for a sua vontade
Alcançarei o objetivo
E se não for
O caminho de volta eu sei
E levarei comigo as lembranças do que jamais tive