segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Dante Alighieri (Poema)

És, neste momento
A minha Beatriz
Musa inalcançável
Por quem eu percorreria
Inferno, Purgatório e Paraíso
Até que fosses minha
Vi que tens predileção por nomes italianos
Deixa-me ser teu Dante
Teu poeta florentino
Tomado pelo encanto que me causas
Este é o oitavo canto que te faço
Me sinto Dante Alighieri no Purgatório
Tu já me tiraste do Inferno
E só haverá Paraíso nessa Divina Comédia
Se tu fores minha, de fato
E assim sendo, tu já não serás Beatriz
E eu não serei Dante
Serás a Musa
E eu serei teu poeta

Recuo (Poema)

Deitadas fora quaisquer estratégias
O poeta recua neste dado momento
Em proteção à Musa
Ou seria em sua própria proteção?
O encanto tornou-se perigoso
E o poeta pela primeira vez sentiu medo
Que fique claro: o poeta não bateu em retirada
Apenas está seguindo sua intuição 
Dando um ou dois passos atrás 
Levando a Musa para a imaginação 
Onde ele sente que a obra continuará a ser escrita
Com a mesma fluência que começou 
Mesmo que daqui pra frente
Os versos sangrem por uma paixão incontrolável
A obra terá seu desfecho