sexta-feira, 6 de julho de 2012

Legado (Crônica)

Estou, neste momento, pensando em deixar um belo legado aos meus filhos, pensando no futuro deles. Pensando, não planejando! Porque o futuro deles será fruto de suas escolhas. Terão o meu apoio e aconselhamento. Os amo demasiadamente. Não quero que eles carreguem meu sobrenome para serem apenas "mais uns" no mundo. Quando penso no nome e sobrenome deles, penso em pessoas bem sucedidas nas áreas que escolherem e em tudo o que fizerem.

O que faço hoje é, em tudo, pensando neles. Eles são a minha força, eles são a razão de eu estar vivo. Quero que eles se orgulhem do pai depois que eu fizer minha passagem deste mundo para o outro. Quero que eles sejam continuadores de tudo que vou deixar. Porém, quero que eles tenham seus próprios ideais e suas próprias causas e se lutarem por eles, já estarão continuando o que faço. Quero que meus descendentes, aqueles que carregarem o sobrenome BRAGANÇA, sejam pessoas importantes no que fazem, sejam pessoas de bela reputação, sejam pessoas humanitárias! Meu maior desejo é que a minha luz seja apenas para acender a luz própria deles. Não, meus descendentes não serão meras sombras de mim! Serão velas que serão acendidas pelos seus ascendentes e brilharão por si só!

Muita gente, mas muita mesmo, riu da minha cara e algumas pessoas ainda riem. Podem rir de mim o quanto quiserem, mas não rirão dos meus descendentes! Disto lhes dou a certeza!

Tenho um lindo legado dos meus pais, Levy Bragança e Rosangela Bragança, de honestidade, integridade, força de vontade e fé. Eles são pessoas importantes pra mim. Eu me orgulho deles. São pessoas de bem, capazes de tirar a roupa do próprio corpo pra cobrir alguém que esteja precisando. São vencedores, pois nos tiraram de uma condição pobre de vida até termos nossa própria casa e vivermos com decência. O maior e melhor investimento deles em mim foi na educação. Não puderam pagar escolas pra mim. SOU FRUTO DO ENSINO PÚBLICO! E o menino que estudou na Escola Municipal Professor Sousa da Silveira e Colégio Estadual Visconde de Cairu hoje é um homem bem alfabetizado, leitor, escritor, artista! Meus pais me proporcionaram isso com os seus exemplos de vida. Nunca passaram a mão na minha cabeça. Os meus erros foram todos meus e eles nunca foram coniventes. Tenho deles esse ensinamento para fazer com os meus filhos. A vida não perdoa quem faz desdém dela. Aprendi isso nos exemplos que meus pais me deram.

Meus filhos, netos, bisnetos em diante vão ter o respeito que eu não tive, mas que um dia terei, nem que seja post-mortem! Minha linhagem será bem sucedida! Quando ouvirem o sobrenome BRAGANÇA, vão pensar em algo mais do que Família Real, vão pensar em SUCESSO!

Beijos nos meus descendentes,
Marcio Bragança, em 06 de Julho de 2012, aos 34 anos de idade