quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Obsessivo (Poesia)

Telefonei sem parar
Não consegui falar
Seu número, você mandou trocar
Acabei tentando me matar
Agora deixo de lado
A rima e a obsessão
Até porque não sou muito lá de rimar
E estava agindo como um obsessivo
Na verdade eu não me conhecia
Errei muito por causa disso
Sei que alguns erros foram desnecessários
Nada a ver com o transtorno que em mim descobri
Mas outros, também desnecessários
Foram por algo que eu não sabia
Até hoje carrego o peso da culpa
Mas vi que minha ausência lhe faz bem
E lhe fazer bem sempre foi meu objetivo
Você nunca precisaria tomar medidas drásticas
Era só dizer: NÃO TE AMO MAIS
E eu tiraria, dolorosamente, o meu time de campo
Me dói não ter uma resposta
Dizer que não confia mais em mim
Não é o suficiente como resposta definitiva
Pois a confiança pode ser reconquistada
Tá, é muito difícil reconquistar confiança
Mas você não seria a primeira pessoa a confiar de novo
E tampouco a última! Isto não é demérito!
O amor tudo suporta e faz o portador evoluir
Sim, o amor faz as pessoas evoluírem!
Soube que você quer distância de mim
E o que estou fazendo? Me mantendo longe!
Não sou um monstro, sou humano!
Sou passível de erros e busco errar cada vez menos
Eu apenas quero o seu bem, o seu sucesso
E não quero atrapalhar seu bom momento
Isso me faz sumir da sua vida contra a minha vontade
Lembra quando eu disse a você que não quero mais ser egoísta?
Estou exercitando todos os dias
Olho pro meu tablet e por vezes falho nesse propósito
Isso se chama SAUDADE, mas eu batizo como EGOÍSMO
Sei onde você mora, mas fique sossegada, eu não vou aí
Não precisa mudar o endereço também
Também não vou assistir você se apresentar
Apesar de eu ter vivido aqui de longe todo aquele processo junto com você
Vou se você expressamente me autorizar
Mas sei que não é isso que vai acontecer, né?
Eu já me perdoei. O seu perdão me é importante
Enfim, se você leu tudo isso, responda pra si mesma:
Você realmente acha que sou obsessivo?