quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Bússola (Poesia)

Minha bússola não me entende
Ela vive apontando pro Norte
Mas minha sorte está no Sul
Naquele porto repleto de alegria
Onde o meu navio ancorado
Espera pela luz que alumia
Os meus devaneios mais sublimes
E lá vem ela caminhando
Por entre adornos negros, brancos e azuis
Aos meus braços saudosos
Daquele corpo celeste
Cabelos caramelados
Boca aveludada
Oh, minha doce Maria
Eu viajaria todos os kilômetros do mundo
Para prestar-lhe toda minha devoção
Em forma de um singelo beijo.

(30/01/2008)